Introdução à Prototipagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Sumário

A importância da prototipagem.

Prototipagem é o ato de produzir um protótipo de seu projeto. É a forma de passar o seu projeto da fase conceitual para a fase física. Isto proporciona inúmeras vantagens, entre elas, as mais importantes são: visualizar o produto acabado, aperfeiçoamento, identificar defeitos ou erros de projeto e redução de custos. Quanto mais complexo o produto, mais importante e mais relevante a prototipagem.

Podemos ver isso no caso de uma peça injetada de alumínio com diversos encaixes e formas irregulares, onde o custo de um molde é altíssimo, sendo que, após feito o molde, é muito caro corrigir e às vezes tem que se partir para um novo molde, perdendo o anterior. Isto pode trazer um custo de centenas de milhares de reais. Outro exemplo são projetos de coisas grandes que podem ser montadas em escala. Podemos citar um motor de navio, ou até mesmo o próprio navio, que com o protótipo menor que o tamanho real além de ter um custo incomparavelmente menor, permite que se faça testes, que seriam impossíveis de se fazer com o produto em seu tamanho natural.

Por isso a prototipagem é um passo importantíssimo para qualquer tipo de projeto. É o momento em que conseguimos avaliar e validar um projeto, utilizando menos recursos e de forma mais ágil, pois, hoje temos diversos meios de produzir um protótipo com baixo custo. É somente quando saímos do campo imaginário da concepção e passamos ao meio físico, que podemos efetivamente ver, manipular e testar, identificando pequenos detalhes que podem passar despercebidos na fase de projeto. Isso pode ter um grande impacto lá na frente, seja por custo, qualidade ou funcionamento. A função da prototipagem é permitir avaliar de várias formas qual será o resultado do seu projeto e permitir enxergar de forma prática as possibilidades de melhorias.

Inevitavelmente quando testamos, acabamos encontrando pontos de melhorias que nos levam a uma nova etapa de concepção e quanto mais testamos, modificamos e testamos novamente, mais refinada vai ser a nossa solução. Isso é válido desde projetos pequenos até aplicações profissionais ou desenvolvimento de negócios. Prototipar é algo enraizado no Movimento Maker, sendo um dos seus princípios básicos.

Onde prototipar?

Se você tem uma ideia ou um projeto bem definido e acredita que está na hora de colocar a mão na massa, mas não tem ideia de como ou onde fazer, pode ficar tranquilo. Existem espaços onde as pessoas se juntam para desenvolver projetos, compartilhar ideias, experiências e que, além disso, são dotados de inúmeros tipos de ferramentas e máquinas para você construir ou ao menos prototipar as suas soluções.

Esses lugares são comumente chamados de Espaço Maker (makerspace) ou Fab Lab. O primeiro possui um aspecto um pouco mais livre, não necessariamente atrelado a uma instituição. Já os Fab Labs sempre estão atrelados a uma instituição e o seu funcionamento é regido por regras específicas, definidas internacionalmente pela rede Fab Lab. Existem os privados e os públicos. A semelhança entre eles é que ambos possuem instalações onde você consegue desenvolver sua ideia sozinho ou com ajuda, tanto de outros Makers, quanto dos instrutores locais. A principal diferença é que no privado você paga pelo uso, mas, pode fabricar a quantidade que quiser, inclusive para comercializar. No público você não paga nada, mas só pode produzir o protótipo, não é permitida a produção em quantidade comercial. Em São Paulo, a rede pública se chama Fab Lab Livre SP (site oficial).

Mesmo os menores espaços estão bem equipados com computadores, programas de desenho e projeto, impressora 3D, corte a laser, fresadora CNC, equipamentos de eletrônica, robótica, marcenaria, mecânica e uma infinidade de máquinas e ferramentas manuais.

Qual é o público dos espaços de prototipagem?

Espaços Makers ou Fab Labs são direcionados para qualquer tipo de pessoa que queira criar um produto, executar seu projeto ou desenvolver uma solução, com ou sem conhecimento prévio. Nestes locais encontramos desde pessoas super especializadas em áreas como marcenaria e eletrônica, como também iniciantes que acabaram de entrar nesse universo e buscam aprender e se desenvolver. Inicialmente os equipamentos e máquinas podem parecer complexos, mas como estes locais possuem pessoas capacitadas e experientes em sua utilização, podem mostrar, ensinar a todos sua utilização.

Exemplos de utilização dos espaços de prototipagem.

Podemos encontrar os mais variados tipos de projetos nesses espaços. Desde projetos caseiros como como construção de um móvel, até um robô complexo dotado de muita eletrônica, para ser utilizado em âmbito profissional. Além de profissionais e entusiastas, muitos alunos também procuram estes espaços, principalmente em finais de períodos letivos, para projetar, aperfeiçoar e construir seus projetos escolares.

Você sabia que a Alva (clique aqui para saber mais), o primeiro Kit Maker da Protto, foi desenvolvida, prototipada e aperfeiçoada em um Espaço Maker?