Introdução ao Arduino

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Sumário

O que é o Arduino?

Muitos acreditam que o Arduino é apenas uma placa eletrônica, mas, na verdade, trata-se de uma plataforma aberta que consiste em uma placa eletrônica (vide imagem), um software chamado Arduino IDE e uma linguagem de programação.  

A placa eletrônica Arduino é capaz de processar informações recebidas de uma infinidade de acessórios ou periféricos (sensores, atuadores, módulos etc.) que podem ser conectados a ela e, da mesma forma, “devolver” estas informações a estes ou outros dispositivos, conforme a programação que receber, por exemplo, acendendo uma lâmpada quando escurece, acionando uma bomba quando acaba a água, acionando um alarme na presença de gás, desligando um motor que super aquecer. 

Falando em programação, é no Software Arduino IDE que escrevemos e enviamos o código de programação desejado a placaEle está disponível para download gratuito no site da empresa Arduino nas versões para Windows, Mac OS e Linux. 

Por ser de certa forma simples e acessível, o Arduino pode ser usado para diferentes objetivos, desde projetos educacionais até complexos equipamentos científicos. Acaba sendo muito utilizado para prototipagem de projetos, pois existem vários modelos, com diferentes capacidades e recursos, e uma lista extensa de dispositivos que podem ser acoplados a ele. 

Para quem é direcionado o Arduino?

Em um primeiro momento pode-se pensar que essa plataforma é voltada para engenheiros ou pessoas do ramo da eletrônica, mas, o mais interessante é que na verdade foi desenvolvida para qualquer tipo de pessoa. É uma plataforma que facilita a criação de projetos que envolvam eletrônica nos quais até os leigos ou iniciantes podem aprender rapidamente. Dessa forma possibilita a criação de projetos customizados, seja para o aprendizado, seja para atender a necessidades específicas do dia a dia ou, até mesmo um desenvolvimento comercial.  

Arduino, um projeto aberto.

Arduino é um produto com marca e símbolo registrados, entretanto, por se tratar de um projeto aberto, toda a parte de hardware e softwares está disponível para qualquer pessoa ou empresa utilizar. Portanto, fica liberada criação de cópias ou placas similares desde que não seja estampado na placa o nome Arduino nem o logo original, apresentado abaixo. Para manter a referência, os fabricantes das placas similares costumam usar nomes começando com “ARD” ou terminando com “INO”.  

Esse conceito de projeto aberto faz com que outros usuários e empresas não só copiem, mas, também criem placas baseadas em Arduino podendo ter funções específicas ou adicionais, adaptadas às mais variadas necessidades. Somando isso a característica de compartilhar informação da comunidade Makeracarretou uma ampla difusão e aperfeiçoamento dessa plataforma com o tempo, garantindo baixo custo e acessibilidade a todos. 

Onde podemos utilizar o Arduino?

Ousamos dizer que as aplicações de um Arduino estão limitadas à sua imaginação. 

Pode ser utilizado na criação de novos produtos, complemento ou aperfeiçoamento de máquinas e dispositivos, aplicado na solução de necessidades pessoais, comerciais e industriais, pesquisas científicas, aprendizado e projetos educacionais etc. 

Como exemplo temos o caso da nossa luminária Alva, criada para ser uma experiência de introdução no Universo Maker e aprendizado escolar, além de no final virar um produto com design único que pode ser utilizado normalmente. 

Poderíamos escrever milhares de páginas com exemplos de uso do Arduino. Desde os mais simples até os mais complexos. Apenas para ilustrar citamos: Controlador de dimensão numa linha de produção com o sensor de distância (mede se a peça tem o tamanho desejado), alarme em local fechado acusando presença de gás, acender lâmpada ao escurecer e apagar ao clarear, leitor de digital para abertura de porta, impressora 3D, produtos voltados para medicina como respirador artificial, … 

Recomendamos esse vídeo no Youtube que mostra na prática 20 projetos diferentes: